Blog do Del – Mundo Ufo

Conheça mais sobre o mundo ufo com o escritor extradimensional Fábio Del Santoro

Vamos ter que morar debaixo da terra para sobreviver?


Os americanos estão levando a idéia de que o mundo vai acabar muito a sério. Ou pelo menos, se não acabar, as pessoas poderão se proteger de terremotos, raios, furacões, pragas de gafanhotos e todas as desgraças biblicas dentro de um buraco. Mas não é um buraco qualquer como aquele que Saddan Hussein se escondeu. Ele é muito mais glamouroso.

A empresa Vivos está lançando um bunker popular por 50 mil dólares. Ou seja, por um pouco menos de 200 mil reais você pode comprar sua vaga em um dos cinco bunkers que serão construídos pela empresa, que tem um nome no mínimo sugestivo: Vivos.

Cada bunker comporta 200 pessoas. Faça a conta. Por cada bunker, eles vão faturar 100 milhões de dólares. Mas se o mundo vai acabar, onde eles vão gastar este dinheiro? Parece brincadeira, mas é verdade. Para ter acesso ao bunker, basta ir até o deserto

Bunkers. Previstos em 2049

de Mojave, na California, descer 7 metros para baixo, passar por uma porta de ferro com 1.300 kg e entrar no maravilhoso mundo subterraneo americano. Você vai ter mantimentos por um ano. Afinal, não existe desgraça que nunca termine.

No site, eles afirmam que a motivação em construir estas fortalezas subterraneas é a grande instabilidade mundial. Muita agitação na política internacional, possíveis colapsos econômicos, guerra entre o Islã radical e o cristianismo, conjunto de grandes terremotos, impactos de meteoros contra a Terra, guerra nuclear entre Irã e Iraque, atividade solar intensa em 2012 e inúmeras previsões mais antigas que a Bíblia e os Maias, aumentam consideravelmente a probabilidade de que passaremos tempos difíceis são incontestáveis.

O site ainda diz que “Vivos” é a solução e  a garantia de vida para você e sua família sobreviver a qualquer catástrofe que a natureza ou a humanidade possam criar”. Afirmam que os bunkers resistem a explosões nucleares. O site ainda pergunta: “pra que lugar você poderia ir sabendo das coisas que vão acontecer?”

Em meu livro 2049, fiz uma viagem astral ao futuro da Terra e vi muitas coisas relacionadas a este assunto. Leia este trecho.

“O planeta se transformou em uma imensa New Orleans e não havia nada a fazer do que se proteger e esperar passar. Porque um dia tudo aquilo iria deixar de acontecer. Só não sabíamos quando. O clima de terror que se instalou sobre o planeta foi generalizado. Imaginem bandos de pessoas saqueando cidades inteiras, matando e roubando por uma geladeira! Imaginem crianças sendo abandonadas porque seus pais morreram em uma enchente ou defendendo a casa das quadrilhas que se formaram da noite para o dia. Muitas famílias cresceram na paz e agora estavam diante de uma guerra, armados de todos os jeitos para defender suas famílias de invasores, e todo o tipo de pessoas que estavam destinadas a roubar, matar e pilhar a qualquer custo. Não que houvesse muita surpresa em ver pessoas atuando como demônios, porque na verdade elas eram demônios encarnados. Mas causou-me tristeza em ver populações inteiras do bem tendo que usar a força bruta para se defender e defender sua própria vida das milícias que matavam ou morriam. Não havia mais segurança em nenhum lugar que se fosse, e esta situação perdurou por muito tempo até que as naves chegassem.”

Ou ainda:

“…a grande maioria das casas que foram sendo construídas, depois dos acontecimentos de 2020, são aparentemente simples por fora e extremamente complexas por dentro. A aparência despretensiosa em muito se deve a não chamar a atenção das gangues que se tornaram rotina em todos os continentes. Gangues formadas por todo o tipo de gente que acreditava na destruição total e que expuseram para quem quisesse ver sua face diabólica. As casas foram feitas de forma a proteger as famílias destas gangues com o uso de muita tecnologia e pouco luxo.

Imaginem que em um terreno de duzentos metros quadrados, as famílias construíram andares para baixo, às vezes cinco ou seis pisos. Isto facilitava de certa forma o controle sobre uma invasão no meio da noite de uma gangue qualquer porque ao entrar no primeiro piso, eles não encontravam ninguém. Entre o primeiro piso e o segundo, existia uma área nula, para caso os invasores conseguissem penetrar. Nesta área nula, o que se pode observar é um imenso buraco feito na terra e nada mais. Aparentemente vazio. Através de sensores, os ocupantes do verdadeiro segundo andar conseguem monitorar com clareza quantos e quem são os invasores, com câmeras do tamanho de um grão de areia e elas são muitas, espalhadas pelo chão e por toda a área.

As passagens são intransponíveis primeiramente porque não visíveis a olho nu. Seria necessário que as gangues conseguissem um sonar ou um visualizador, capaz de interceptar sinais eletrônicos que abriam estes verdadeiros portais regidos por anti-matéria. Estas senhas eletrônicas são sinais magnéticos que estão no ar, flutuando e esperando que um interceptador com a senha correta faça-os abrir o campo magnético que funcionam como portas de acesso. Nada de alçapões e calabouços do passado. São portões virtuais que tomam a forma material quando os donos da casa desejam. E ninguém mais pode fazer isso.”

Veja abaixo algo sobre as bases subterraneas que estão sendo construídas pelo governo americano…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: